• Rubem Arbex

Especial: PUP


Toda vez que eu pego uma banda nova pra escutar, tenho a esperança de encontrar um novo vício. Que a música me cative o bastante pra que eu tenha vontade de escutar toda a discografia da banda. De preferência, várias vezes. Um dos meus últimos vícios é o PUP (sigla pra Pathetic Use of Potential).


Vinda do Canadá, o primeiro disco do PUP saiu em 2013 e já mostrava um punk rock cheio de energia, barulhento, intricado, vocais gritados e incrivelmente melódica no meio do caos.


O segundo álbum, The Dream is Over, tem uma das melhores aberturas de disco com “If This Tour Doesn´t Kill You, I Will”, seguida de “DVP”. As letras, muitas vezes irreverentes, já deixam evidente o problema (assumido) de depressão e ansiedade do vocalista, o que, numa característica constante dos 3 discos, se contrapõe à animação e felicidade das melodias.


Em 2019, saiu o terceiro (e último, até o momento) disco Morbid Stuff. Mais uma música de abertura matadora, onde, de cara, já se passa a cantar sobre pensamentos sombrios e morte. E tal como o Menzingers, uma das bandas com quem já excursionaram, tratam das angústias de envelhecer, sentimentos de inadequação, problemas no relacionamento... Mas, lembre-se, sempre com muita animação e cheio de refrões que dá vontade de cantar junto.



Pra você conhecer, deixamos uma playlist com as preferidas do Outras Frequências.





14 visualizações
  • Grey Instagram Icon
  • Grey Facebook Icon

© 2023 by The New Frontier. Proudly created with Wix.com